Buscar
  • Vera Lúcia Bueno

Mais amor, menos dor.

Você já se perguntou o tamanho da dor psíquica de quem sofre uma discriminação ou um preconceito?

Ainda que grande parte da população esteja cada vez mais atenta a este problema sabemos que o caminho a ser percorrido para eliminá-lo ainda será longo e muitas vezes, doloroso. Se você é pai ou mãe saiba que tem um papel fundamental nisso.

Infelizmente, não existe uma mágica que fará com que casos de discriminação parem de existir da noite para o dia. Porém, os pais desempenham um papel essencial na criação de uma sociedade em que o amor prevaleça com relação a dor ao educarem seus filhos para que não sejam perpetuadores de preconceitos. Conversas informais e exemplos de postura diante destas situações são fundamentais para que seu filho se identifique e cresça num mundo melhor.

Assim nos inspirou Nelson Mandela.

"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, ou por sua origem, ou sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se elas aprendem a odiar, podem ser ensinadas a amar, pois o amor chega mais naturalmente ao coração humano do que o seu oposto. A bondade humana é uma chama que pode ser oculta, jamais extinta." (Livro "Long Walk to Freedom", 1995)



0 visualização
  • Instagram
  • Facebook ícone social
WhatsApp-icone.png

Rua Marcos Mocelin, 89, Sala 3 - Santa Felicidade - Curitiba, Paraná - 82020-510
Telefone (41) 99969-7200